Image Map

domingo, 25 de dezembro de 2016

(Resenha) Uma Chance Para Recomeçar - Diana Scarpine

Título: Uma Chance Para Recomeçar

Autora: Diana Scarpine

Ano: 2016

Páginas: 432

Editora: Pandorga



Sinopse: Carina é uma workaholic rica e bem-sucedida cuja vida se resume ao trabalho. Afogada em estresse, ela não se importa com a solidão que habita seu coração, pois o amor nunca foi uma das suas prioridades, até que algo inusitado acontece. Repentinamente, ela se vê privada do trabalho e deseja aplacar a solidão que a consome, principalmente quando conhece Aurélio, que a trata de uma forma diferente da qual ela está acostumada. Consumido pela tragédia que vitimou sua família e deixou-lhe sequelas físicas e emocionais, Aurélio não quer nada além de se afundar cada vez mais na dor e na culpa que sente. Suas certezas começam a ficar abaladas à medida que Carina se aproxima cada vez mais dele. Quantos obstáculos precisam ser vencidos para recomeçar? O amor é capaz de vencer as amarras do passado e o preconceito?



***



Carina não vive. Ela trabalha. Este é seu único propósito na vida. Não tem namorado, nem amigos. Até o dia que o destino lhe mostra na cara, literalmente, que ela está indo pelo caminho errado.

O estresse e a pressão que o emprego e ela mesma se impõem é tão intenso que a fazem ter uma paralisia facial. Ao procurar ajuda médica acaba esbarrando em Aurélio e a partir deste encontro suas vidas se modificam.

Aurélio perdeu a esposa adorada e a filhinha num acidente de carro há 10 anos. Como sequela teve a perda da visão e de 2 dedos das mãos. Porém sua maior perda foi a vontade de continuar.

Ele se fechou dentro de si mesmo para mitigar a sua dor e se alimentar dela. Sua estima estava no chão. Considerava-se um monstro por causa das cicatrizes das queimaduras que sofreu em 50% do corpo e se escondia atrás de uma máscara. Só não deixou de exercer 1 de suas profissões, o que lhe permitiu conhecer aquela que iria entrar na sua vida como um tsunami fazendo reviravoltas constantes no seu âmago.

A culpa que sentia (mesmo tendo sido um acidente) o corroía. E sua não-aceitação das sequelas o prendeu a sua paixão pela falecida esposa.

Aurélio acreditava que amava a esposa, que não tinha a capacidade de amar novamente e que não tinha o direito de ser amado.

Não foi apenas a visão física que ele perdeu, mas também a mais importante que temos: a visão espiritual. É esta visão que nos permite ter esperança, ter fé, olhar além das aparências.

Antes do acidente ele era considerado um homem lindo. Sua esposa o conquistou pela beleza dela. E após o acidente, quando sua visão escureceu para sempre e sua “beleza” foi retirada, Aurélio simplesmente não se aceitou naquela condição. Sua estima foi parar no chão e ele pisava nela todos os dias.

Carina não faz outra coisa a não ser trabalhar. Fica tão focada no trabalho que acaba por esquecer-se de si mesma. E um belo dia acorda com metade do rosto paralisado. Ela fica tão chocada que pensa que irá morrer.

Quando ela conhece o Aurélio não é com os olhos do corpo que ela o vê. Carina o enxerga com os olhos da alma. Um amor puro, forte e verdadeiro nasce em seu coração e a faz refletir sobre a vida que está levando. Ela é a primeira a admitir o seu amor.

No início Aurélio lutou contra a aproximação da Carina. Para ele isso era uma traição a sua falecida esposa. Porém quanto mais ele a repelia e rejeitava, mais perto ela chegava da sua alma.

Esta descoberta o faz falar sem pensar e acabar magoando profundamente a Carina com seu complexo, seu autopreconceito, sua crença absoluta de que não tem direito ao amor de uma mulher tão rica e linda como ela.

Quando ele finalmente se dá conta de que o que sente pela Carina é amor, ela já não está mais sozinha. Isso o leva de volta ao casulo no qual passou a se esconder após o acidente.

Após tanta rejeição sofrida, Carina tenta curar seu coração estilhaçado ao lado de Lucas, mas seu amor pelo Aurélio só cresce a cada dia.

Até o tão aclamado “E viveram felizes para sempre” este casal passou por muitos mal-entendidos que os fizeram sofrer em silêncio e amargurar seus corações. Somente depois de falarem francamente um com o outro puderam conhecer verdadeiramente a força deste amor que os unia.

A sensação que temos ao ler esta história é que a autora Diana não escreveu uma trama imaginária. Ela simplesmente nos conta uma história real. Temos a impressão que os personagens fazem parte da nossa vida.

Ela escreve de uma forma tão comovente que cativa e vicia. A personalidade dos personagens nos remete a nós mesmos ou a alguém que conhecemos.

Carina é bem sucedida na profissão, mas completamente insegura na vida pessoal. Não se considera bonita sempre dizendo que a irmã havia recebido toda a quantia de beleza da família. Afundou-se no trabalho para fugir de si mesma.

Aurélio sempre considerou a beleza física como a principal qualidade do ser humano. Sua falecida esposa era linda e ele também antes do acidente. Depois do acidente ele não aceitou sua nova condição e passou a se esconder atrás de uma máscara, pois tinha preconceito contra ele mesmo. As feridas não foram apenas no corpo. Foram tão profundas que lhe atingiram a alma. Ele se retraiu e se escondeu atrás da desculpa que era fiel a falecida esposa e por isso não poderia se relacionar com outra mulher. Se tornou inclusive agressivo com as palavras, rude e mal-humorado.

Porém o destino tinha outros planos para os dois.

Carina trouxe a luz de volta para o coração do Aurélio lhe permitindo abrir uma brecha na escuridão do seu espírito. Aurélio mostrou para a Carina que ela tinha a capacidade de amar e o direito de ser amada.

A autora mostrou de forma intensa todas as emoções que assolaram o casal, seus familiares e amigos: insegurança, preconceito, aceitação, superação, perdão, amor. Tanto pelos outros quanto por eles mesmos.

O processo mais difícil foi o do Aurélio, pois ele estava acorrentado ao passado. Não admitiu perder a família e a beleza. A Carina se tornou no seu “remédio” assim como ele se tornou o dela. A transformação teve que ser em separado para depois ser feita em conjunto.

Presenciar o desenvolvimento do relacionamento deste casal é estar diante de um excelente professor da natureza humana. É uma aula para quem estudo a psicologia.

O medo de ser rejeitado fez com que o Aurélio rejeitasse a Carina primeiro. O medo de ouvir mais uma vez o Aurélio falar que amava a esposa morta fez com que a Carina não assumisse novamente o seu amor por ele. Foram inúmeras sucessões de mal-entendidos que os fizeram ficar numa montanha russa de sensações.

Eles mantinham conversas em suas mentes, mas não verbalizam o que realmente sentiam ou pensavam. Viveram com as suposições.

Este é o maior erro que um casal pode cometer. Para que um relacionamento dê certo é necessário que haja um diálogo franco entre os dois. Tudo deve ser esclarecido no momento. Deixar para depois ou ficar fazendo conjecturas só os levará a dor e ao sofrimento.

Uma chance para recomeçar ensina ao leitor o quanto faz bem superarmos os nossos próprios limites. Mas principalmente nos amarmos e aceitarmos que outra pessoa possa nos amar também.

A beleza pode ser o que lhe chame a atenção no outro, mas se não houver um sentimento verdadeiro e profundo os unindo esta atração passará tão rápido quanto uma tempestade de verão. 



Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

Um comentário:

  1. Khrys, sua resenha é lindíssima! Amei!

    Abraços,
    Diana Scarpine.

    ResponderExcluir