Image Map

segunda-feira, 16 de abril de 2018

(Resenha) O canto da Valquíria - Robson Gundim

Título: O canto da Valquíria 
Autor: Robson Gundim
Ano: 2016
Páginas: 325


Sinopse: Valquíria é uma jovem talentosa com o sonho de se tornar uma cantora profissional e brilhar sob as luzes dos palcos do nordeste e do mundo. Ao lado do seu inseparável irmão, Cristiano, ela irá atravessar os obstáculos de uma vida desenhada por dificuldades, abandonos e maus tratos de um pai alcoólatra. Cantando escondida em bares, seu talento irá chamar a atenção de empresários e bandas, mas o traiçoeiro caminho para a fama logo se mostrará infinitamente diferente daquele que sonhou.
O Canto da Valquíria é uma história sobre escolhas, perdas e traições, onde, guiada por sua voz e seu talento inquebrável, a jovem cantora descobrirá o valor da determinação, do amor pela música e da luz de um destino escrito nas estrelas.  


*** 


Não posso começar a falar sobre o livro sem contar um detalhe muito importante. Nesta obra não temos uma narrativa convencional. Nós somos apresentados ao canto da Valquíria através dos sentimentos e do olhar da própria cantora.

Quando uma pessoa escreve um diário ela desnuda sua alma e coloca na ponta do lápis tudo aquilo que está guardado dentro do seu coração. E quando outra pessoa lê estas palavras consegue sentir toda a emoção empregada na escrita.

A Valquíria trabalha como faxineira num hotel e acalenta o sonho de subir num palco e mostrar ao mundo o seu dom de cantora. Ela se une ao irmão Cristiano e parte em busca da transformação deste sonho em realidade.


Ela deixa para trás uma vida sofrida. Não a de trabalhar como faxineira, pois este é um trabalho tão digno quanto qualquer outro. Seu sofrimento vinha dos maus tratos que recebia do próprio pai. Um alcoólatra que se tornava agressivo quando bebia demais.

Quando ela e o Cris passam num teste, e ingressam numa banda famosa fazendo parte dos cantores, mudam completamente o estilo de vida. O trabalho triplica, pois ser um cantor não significa apenas pegar um microfone e soltar a voz. Tem muito mais a ser feito e aprendido.

A banda é composta por 3 casais que revezam na hora de assumir o comando das músicas.

Valquíria se apaixona pelo Rick desde a primeira vez que o vê, mas infelizmente este amor não pode ser vivenciado naquele momento.

Seu irmão Cristiano se envolve com a Alina, que acaba por se tornar uma irmã de coração para a Val mesmo depois de todo o sofrimento que ele lhe causa.

Através do diário conhecemos toda a trajetória do sucesso alcançado pela Valquíria mulher e pela Valquíria cantora.

Quem pensa que colocar um sonho em prática é simples, está completa e erroneamente enganado. Para que o sonho não se torne um pesadelo muito trabalho precisa ser feito.

A determinação em seguir em frente depois de cada queda foi essencial para tornar a Val numa vencedora.

Após a separação da primeira banda uma nova é formada com o quinteto Andrei, Alina, Cleiton, Rick e Valquíria. Assim nasce a RAVC que se torna um sucesso devido ao talento e a persistência de cada integrante do grupo.

Uma das mensagens transmitidas por esta história é que por mais ansiosos que estejamos desejando que uma mudança aconteça logo na nossa vida, nada pode atropelar a vontade de Deus.

Quando permitimos que Ele conduza os nossos passos e nos mantemos no caminho do bem as coisas boas começam a surgir para brindar o nosso merecimento. Mas não somos nós que escolhemos quando irá acontecer.

Isso não quer dizer que temos que sentar e esperar que tudo caia do céu. Precisamos nos preparar estudando e trabalhando. Seja em qualquer área que decidimos atuar temos que nos aperfeiçoar sempre. A estagnação não conduz ao sucesso.

A Valquíria é um exemplo disso. Esperou o momento para que cada coisa acontecesse na vida dela sem deixar de lutar. Uma jovem que através do seu diário foi capaz de dar uma aula para muitos adultos.



Recomendo a leitura para quem está precisando de um incentivo para seguir em frente. A vida costuma colocar nossas escolhas em prova. Não para que desistamos, mas para que tenhamos a certeza do que queremos e para saber o quanto estamos determinados a continuar naquele caminho.


Espero que o canto da Valquíria seja ouvido em cada canto deste país e que os leitores aprendam com ela a serem vencedores de si mesmos.



   
   
Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

terça-feira, 3 de abril de 2018

(Entrevista) Autor Sérgio Chimatti

Oi, Galera.




Em comemoração ao lançamento da nova obra do autor Sérgio Chimatti, resolvi trazer as nossas entrevistas de volta. Então vamos conhecer um pouco mais do autor e do homem que dá vida a essas histórias especiais que nos fazem refletir tanto sobre a nossa própria vida.



1- Conte-nos um pouco sobre o seu novo livro “Um amor de sete vidas” que está sendo lançado neste mês de abril:
Uma história envolvente. Como todos os outros "filhos", este tem o seu charme em particular.
No geral fala sobre espiritualidade dos animais, o estilo gótico, suicídio, alcoolismo, vampirismo, anjos da guarda, homossexualidade, além de outros aspectos comportamentais humanos relacionados a sentimentos. Enfim, é assunto "pra dedel".
Tendo tantos assuntos os leitores poderão se beneficiar de muitas lições. Qual a principal mensagem da história?
Não há uma mensagem específica, sendo que o contexto passa várias mensagens para reflexões.


2- Tem algum personagem com o qual você se identificou? Ou que tenha alguma característica sua?
A gente se identifica com muitos personagens, não apenas com um, pois as características comportamentais humanas se fundamentam num misto de atitudes, decisões e reações, que determinam as diversas personalidades que podemos tomar diante dos acontecimentos e como meus livros falam do dia-a-dia, viajo na maionese me colocando no lugar de um monte de personagens.
Esta diversidade de comportamento acaba nos auxiliando no autoconhecimento. Você se colocou no lugar de um monte de personagens então pergunto: algum personagem teve uma atitude completamente diferente da que você teria se estivesse naquela situação ou a atitude diferente deste personagem acabou acarretando uma mudança na sua maneira de encarar o fato?
Algumas vezes alguns personagens tiveram atitude completamente diferente da que eu teria, porém em nenhuma das vezes eu mudaria minha maneira de encarar o fato.


3- Logo após o término da escrita desta obra você acabou adotando uma gatinha preta. A Kyra foi um presente da espiritualidade para você poder vivenciar as experiências que contou na história?
Totalmente!
Eu não adotei, fui adotado KKKKKK... Não imaginaria que no estacionamento me apaixonaria por uma gata que durante vários dias achegou-se toda "mioza", "reboloza" dando e requisitando amor! Ah! Com o detalhe de ser justamente uma gata preta igual o Café, fato do livro.
E quanto às experiências, isso foi fabuloso, porque estamos vivenciando juntos coisas que não imaginaria que pudessem acontecer.
Esta é a magia felina. Ser adotado por um gato nos enriquece a alma. A Kyra chegou para ser a sua mentora animal e te levar a sentir as experiências.
Experiências que compartilhamos com animais são surreais. Animais são professores que ensinam sem saber que o fazem. 



Esta é a Kyra


4- Sei que você já teve dois gatos na sua vida e agora está tendo o prazer de ter a companhia de uma gata. Como está sendo a convivência com a sua bebezinha felina? E o que mudou na sua percepção sobre os gatos? 
Acho que nada mudou, porque desde que me conheço por gente, meu conceito sobre os bichanos é de que são soberanos, envolventes, grandiosos seres incomparáveis em relação à magnitude da beleza de alma e sentimentos possíveis de compartilhar.
Desde pequeno amo gatos, então tudo o que falar deles serei suspeito.
Só quem ama os gatos desta forma tão intensa sabe do que você está falando. kkkkkkkkkkk
Pretende se deixar ser adotado por outro gato ou a Kyra irá reinar absoluta na sua vida?
Quem sabe? rrsrs... Se aparecer outro... 


5- Acredito que esta sua história irá fazer as pessoas enxergarem os góticos com menos preconceito. Fale-nos sobre esta filosofia e como eles vivem:
Sabe que tal inspiração da personagem ser gótica me surpreendeu, porque nunca tive curiosidade de me aprofundar no assunto, ou melhor seria dizer, no estilo de vida, porque ser gótico é um estilo de vida, que embora eu não tenha, me identifiquei demais e adorei saber "como funciona".
Mas você mencionou um ponto interessante: Fazer as pessoas enxergarem os góticos com menos preconceito... Mas o ser humano é passível de preconceito por tudo o que for externo ao que vive, então digo que acredito na reavaliação dos que imaginam góticos serem satânicos, curtirem magia negra, serem depressivos... Isso tudo é um absurdo, mas tem gente que cria estigmas e prefere continuar cego às diversidades, entendendo diversidades como anormalidades, ao invés de admitirem algo externo diferente delas..
Deve sim fazer as pessoas enxergarem os góticos com menos preconceito e digo mais: Que muitos adotarão o estilo, caso se identifiquem.
Espero que os seus leitores consigam enxergar além do preconceito e ver a pessoa que o gótico é de verdade.


6- Esta é a sua segunda história com um personagem especial. Você vai seguir falando sobre a espiritualidade dos animais nas próximas obras?
Quem sabe?
Cada história é uma surpresa diferente.
É uma surpresa maior para você que "vê" a história se desenrolar na sua mente, não é?
Se é!
Quando criamos uma história é tão emocionante quanto somos inspirados. 


7- Além de estar lançando um novo livro você também está numa nova casa editorial. Como foi esta mudança?
Foi uma mudança tranquila, agradável e muito gratificante.
Digo que tenho duas casas editoriais, porque continuo com quatro obras na Vida & Consciência e na Editora Planeta inicio uma nova fase.
Que estas duas casas editoriais sejam as bases para formar a pirâmide que o erguerá rumo ao sucesso. Os leitores sairão ganhando muito podendo ter mais histórias inspiradas tão emotivamente como as suas.


8- Explique para nós a diferença entre o trabalho mediúnico de psicografia e o de inspiração:
Psicografia mecânica: Não sabemos o que escrevemos. Para melhor entender, a mão só mexe porque o Espírito comanda. Essa eu nunca usei para escrever romances.
Psicografia semi-mecânica: Não fazemos ideia do enredo, apenas reproduzimos, porém com nossas características de escrita. A única obra assim foi a primeira, o Uma Vida Excepcional - Casa Três. Quem lê as demais, não acredita que tenha sido o mesmo escritor, porque as outras foram inspiradas.
Inspiração: Você recebe o contexto do enredo, porém tem possibilidades mais amplas de colocar no papel o discorrer, determinado por características mais abrangentes do escritor, o que pode ser compreendida como obra literária.
Se eu fosse trabalhar com a escrita mediúnica iria preferir ser através da inspiração.
Alguma vez você discordou do que lhe foi dito pelo espírito e não escreveu o que ele queria?
Sim, muitas vezes, porém quando não escrevo o que ele inspirou, a história perde o nexo e sempre tenho que voltar atrás e reescrever.


9- Você pretende algum dia lançar uma história escrita somente por você? Uma obra onde a sua essência ficará em evidência para o leitor?
Na Editora Planeta já tenho contrato assinado para isso, mas preciso explicar:
Todas as obras que escrevi até hoje, foram de cunho espiritualista, mas esta que deve sair no segundo semestre, não tem cunho espiritualista, não tem reencarnação, não fala de mediunidade, etc., mas mesmo assim digo que não existem obras que não sejam inspiradas, pois sou da opinião que tudo que exale "inspiração", tem a mão da espiritualidade, principalmente pelo fato de acreditar que nada acontece por acaso.
Exatamente. O acaso é um trabalho da espiritualidade.
As histórias com mais lições e mensagens espiritualistas que li foram as que não estão classificadas nesta categoria.
Vamos aguardar a sua obra inspirada por você mesmo e carregada com todos os seus anos de estudo e experiência no campo da mediunidade.



Espero que tenham gostado da entrevista como eu gostei de fazê-la.
Para aguçar um pouco mais a vontade de vocês lerem “Um amor de sete vidas” conheçam dois personagens e a sinopse da história.


Cristiana, linda, de poderosa personalidade, é um amor de pessoa, mas não pise no calo dela, senão a chapa esquenta!

Cristiana é gótica, por se identificar com o estilo e lidera uma tribo de 3 rapazes e 2 moças.
De madrugada no cemitério Cristiana recita versos para o deleite de sua tribo e dos espíritos desencarnados que a esperam ansiosos, quando são agraciados por suas declamações acaloradas defronte aos túmulos.
Cristiana mora com o primo, a mãe e a avó.
É apaixonada pelos cinquenta e oito gatos que cuida com dificuldade, porque é ração que não acaba mais, mas foi seu primo quem trouxe todos para casa.
Convivendo com os gatos Cristiana desenvolveu faculdades mediúnicas que... vocês adorarão conhecer!




Café é um adorável vira-lata preto da gema que não sossega o facho, invadindo o quintal dos vizinhos e como não é castrado, enlouquece a Cristiana (que cuida dele) com suas peripécias. O bichano tem energia que só, mas não estou falando só de atividade física. É que o Café... Bem, isso vocês lerão depois.




‘Apesar de honesto e trabalhador, Diego, filho de Ruth se torna alcoólatra.
Apaixonado por gatos, ele levava todos os bichanos que encontrava abandonados para casa, mas, era sua prima Cristiana quem cuidava deles.


As histórias dos pais de Diego e Cristiana foram omitidas durante anos, mas o destino e forças espirituais começaram a revelar a Cristiana a verdade sobre o seu passado e de sua mãe.

Como um verdadeiro amigo, o gato Café iluminava e encorajava Cristiana em cada momento de solidão e desconfiança.

Nesta história, o leitor se surpreenderá com o que pode acontecer na vida após a morte, como o amor incondicional dos animais pode levar luz onde há trevas, a importância da verdade acima de qualquer coisa e como as relações familiares são um divisor de águas entre o amor e o rancor na vida de qualquer pessoa. '



Sei bem o que a minha xará passa. Quando amamos todos os animais ou uma espécie em particular como cães ou gatos acabamos nos tornando as babás da família...

Consegui fazê-los se apaixonarem pelo Café? Então aproveitem a pré-venda na Saraiva e adquiram logo um exemplar. Aproveitem para presentearem suas mães, tias, irmãs, primas, amigas e até suas inimigas (espero que as últimas sejam poucas kkkkkkkkkkkkkkkk).




Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Promoção de Nascimento das Cristianas

Oi, Galera.






Em março teremos o lançamento da nova obra do autor Sérgio Chimatti "Um amor de sete vidas". Como é o mês do meu aniversário e será o da minha xará Cristiana, protagonista da história, vamos fazer uma super comemoração.

O Sérgio foi mega generoso e disponibilizou 1 exemplar de cada uma das suas obras já publicadas para serem sorteadas aqui no blog. Então 6 de vocês leitores irão ganhar um presente pelo dia do meu aniversário e em antecipação ao lançamento.

Além do livro autografado do autor os ganhadores irão receber do blog um kit de marcadores de autores nacionais (acho que todos por aqui sabem o quanto defendo a divulgação dos nossos tesouros).

Então escolham qual livro querem concorrer, eu aconselho lerem as resenhas que fiz para cada um deles para terem certeza de qual história mais instigou o interesse de vocês, e participem seguindo as regras através dos formulários.

















Regras:
- Ser seguidor público do blog;
- Curtir a página do autor Sérgio Chimatti (não é apenas para visitar. Tem que curtir a página). Para facilitar a verificação desta regra me adicionem como amiga no Facebook;
- Ter endereço de entrega no Brasil;
- Deixar um comentário neste post informando o link do seu perfil no Google para validar sua participação .
Tem algumas entradas extras para aumentar a chance de ganharem ok?


A promoção começa hoje dia 15/02 e vai até o dia 15/03. Os ganhadores terão 48hs para responder ao meu e-mail enviando seus dados, ou um novo sorteio será realizado. Os livros e os kits serão enviados por mim no prazo de 45 dias úteis. O blog não se responsabiliza por extravios ou danos causados pelos correios. Caso o prêmio retorne por erro na informação de endereço fornecida pelo ganhador, não será reenviado.



Chamem os amigos e vamos comemorar.




Boa Sorte!


Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

(Resenha) Nem tudo que reluz é ouro - Amarilis de Oliveira


Título: Nem tudo que reluz é ouro


Autora: Amarilis de Oliveira

Ano: 2017

Páginas: 264

Editora: Vida & Consciência




Sinopse: Deus estabeleceu leis imutáveis para nos guiar na senda da evolução, que nos ensinam a linha direta e mais curta. Nós é que, presos pelas ilusões do imediatismo a que nos habituamos no mundo, caminhamos por linhas tortuosas.
Este livro conta a história de pessoas que, cegas pelo orgulho e pela ganância, criaram dificuldades em suas vidas e tiveram de trilhar o caminho da dor para entender que somente a ligação com Deus e a prece sincera poderiam resolver seus problemas.



***


O pai do Carlos resolveu dividir seus bens entre os três filhos homens e para ele ficou um condado que praticamente estava esquecido no mapa. Ao assumir o posto de conde e chegar ao local passa a ter a sensação que já conhecia aquela terra.

Ele conhece Handar e sua filha Soláia. Não entende a razão de se sentir ligado aos dois. Também conhece o pintor Dulcor e uma amizade nasce entre eles.

Mas a ignorância aliada à ganância daquele a quem o conde considerava um irmão o faz cometer um erro gravíssimo que o leva a nutrir um ódio mortal por quem lhe fez trilhar o caminho da traição.

Handar e Soláia eram integrantes de uma seita onde os participantes tratavam os enfermos do corpo e da alma com passes mediúnicos e os levavam a meditarem refletindo sobre suas vidas.

E foi neste lugar que o Carlos finalmente se encontrou. Ele precisou aprender a se perdoar para continuar sua jornada.

Carlos não foi o único personagem a ter que vivenciar uma dor profunda para perceber que nem tudo o que reluz é ouro.

O ser humano está tão acostumado a fechar a visão acreditando que o que importa na vida são os bens materiais e o poder que não enxerga que estas coisas são meros prazeres passageiros.

Damos valor ao material e deixamos de lado o emocional. Criamos situações que nos levam a cometermos erros e mesmo assim demoramos a retirar de nossos olhos o véu do ouro que nos impulsiona a desejar termos coisas sem valor espiritual.

Isto não quer dizer que devemos abrir mão de tudo e vivermos como eremitas numa caverna. Apenas que precisamos estar atentos aos nossos pensamentos para que eles não nos levem a cometermos erros que nos jogarão no abismo do não perdão a nós mesmos.

Se temos como corrigir o erro, que façamos. Se não, temos que seguir em frente e nos perdoarmos. Do contrário entraremos numa roda gigante que ficará rodando eternamente nos impedindo de evoluirmos.

A vida é muito curta para desperdiçarmos tempo com coisas, pessoas ou crenças que não nos enriquecem a alma.

O medo e o preconceito geram vários males em nós e em quem será atingido com as nossas atitudes.  

As pessoas valorizam o ouro e esquecem que ele é um metal.

Quando nos deixamos cegar pela ganância também ficamos cegos para o sofrimento e a dor que causaremos naqueles que estiverem no meio do nosso caminho para a “conquista” daquele bem.

Por isso devemos ficar atentos aos nossos pensamentos, pois deles dependem os nossos atos.

O personagem Carlos mostrou o quanto é perigoso agirmos sem refletir. Por mais que uma cena que vemos acontecer pareça uma coisa, ela pode ser outra completamente diferente. E se agirmos no calor da emoção sem ponderar o que realmente aconteceu, com certeza nós acabaremos cometendo um erro grave de julgamento e condenação.

Muitas vezes o que vemos reluzir a nossa frente não passa de um pequeno pedaço de vidro refletindo a luz do sol.




Um leve bater de asas *O:-) anjinho  *O:-) anjinho  para todos!!!!

Khrys Anjos